Liderança dinossáurica em tempos de crise

April 11, 2018

 

Na Era Mesozoica, há mais de 220 milhões de anos, surgiram e desapareceram diversas espécies de dinossauros. Os estudiosos concluíram que a maior causa da extinção foi sua inabilidade de adaptação. O mesmo, em proporções e tempos diferentes, acontece com as organizações quando aplicam governança, gestão e liderança dinossáuricas. 

 

Ainda existem organizações que desconhecem os atualizados e eficazes métodos de gestão, usando controles ultrapassados, sem indicadores para enxergar sua real situação, sem tecnologia de informática e principalmente liderando as pessoas como funcionários (aqueles que apenas devem funcionar), na velha política de: “manda quem pode e obedece quem tem juízo”.

 

Aquelas empresas que deixarem de fazer a travessia da ponte da Era Mesozoica para a Quarta Revolução Industrial, inovando seu processo de governança e principalmente a forma diferente de conduzir seus colaboradores das Gerações Y e Millennials, com tratamento específico, oferta de novas oportunidades de desenvolvimento, autonomia e flexibilidade, estarão fadadas a não ultrapassar mais um ano novo. 

 

Os líderes deverão compreender que estamos vivenciando um tempo de ruptura, e que o “bom deve ser inimigo do ótimo”. Nos acomodamos e aceitamos quando encontramos boas escolas, bons serviços e bons funcionários, mas isso não é suficiente, é apenas um "subdesempenho satisfatório", muito aquém do ótimo e da excelência que podemos conquistar e devemos buscar continuamente para a durabilidade das empresas e dos empregos.

 

A capacidade de adaptação determinará a sobrevivência das empresas, principalmente em tempo de crise, onde todo cuidado é pouco com a saúde financeira e econômica da organização. Os líderes possuem um papel crucial para a saída desses tempos difíceis, pois são eles que cuidam das pessoas, e são as pessoas que fazem as coisas acontecerem. Para superar esse complexo período, 5 características são fundamentais para a boa liderança:

 

1- Desenvolver as pessoas: o foco deverá combinar o que a equipe sabe fazer, o que elas devem fazer nesse momento e quais qualidades intrínsecas devem ter. Encontrar os gaps e capacitá-los continuamente.

 

2- Ter resiliência: devem saber priorizar, inteligentemente, as ações, com sensibilidade para detectar as zonas cinzentas, tomar decisões éticas no dia a dia, ter coragem de fazer o que é certo, independentemente do custo pessoal e jamais desistir. 

 

3- Cultivar a confiança: o líder deve ser o porto seguro da equipe, sendo o primeiro a dar o exemplo do sacrifício de fazer mais com menos. A demonstração de humildade para encarar os desafios e dar total apoio nessa hora, conquista seguidores e a confiança das pessoas.

 

4- Fazer o que prega: o elemento que talvez seja o mais importante para superar a crise, é o líder fazer o que prega. São exemplos vivos e sustentam sua liderança em valores como um meio de inspirar outras pessoas na organização por sua consciência, pensamento e ações.

 

5- Aliar competência e caráter: grandes líderes entendem que sustentar a excelência no longo prazo envolve competência e caráter. Eles reconhecem que, embora sejam anos necessários para construir uma reputação sólida, minutos são suficientes para destruí-la.

 

Reflita sobre isso, e aja agora mesmo, antes que seja tarde demais!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O que você fala, você faz?

July 9, 2019

1/10
Please reload

Posts Recentes